Brasil e China anunciam fim de operação de satélite Cbers-2B

Brasil e China anunciaram nesta quarta-feira (12) o fim das operações do satélite Cbers-2B, que foi lançado ao espaço em 2007 e capturou milhares debimagens sobre os dois países, além de outras regiões na América do Sul e também da África.


Construído a partir de peças remanescentes do Cbers-2, lançado em 2003, o satélite tinha vida útil estimada de dois anos. Ele chegou a completar cerca de 13 mil voltas na órbita da Terra, gerando cerca de 270 mil imagens para usuários brasileiros e outras 60 mil para mais de 40 países.

Técnicos tentavam resolver falhas de comunicação com o satélite desde março. Em meados de abril, não foi mais possível estabelecer contato. Dessa forma, a Agência Chinesa de Tecnologia Espacial e o Instituto Espacial de Pesquisas Especiais (Inpe), responsável pelo programa Cbers no Brasil, anunciara o fim das operações do satélite.


Com o fim do satélite, diminuem as imagens disponíveis para programas como
Prodes e Deter, pelos quais o Inpe monitora o desmatamento na Amazônia. De
acordo com o Inpe, as condições de monitoramento não são ideais sem o Cbers-2B. Mas os sistemas de vigilância da floresta podem ser continuados com o uso de imagens geradas por outros satélites, como os americanos Terra/ Modis e Landsat-5 e o indiano Resource Sat.


De acordo com informações do G1, o próximo satélite do programa sino- brasileiro deverá ser o Cbers-3, cujo lançamento está previsto para o segundo semestre de 2011. Já o Cbers-4 deverá ser lançado em 2014. 

 

Satélites CBERS: Brasil e China comemoram 30 anos de parceria

Gostou? Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.